CRIANÇAS TAMBÉM PODEM TER BRUXISMO

O bruxismo é um movimento mandibular involuntário que se caracteriza pelo apertar ou ranger os dentes. Normalmente, ocorre com maior freqüência durante o sono, podendo levar a complicações dentarias e/ou faciais.O diagnóstico do bruxismo deve ser realizado com base no relatório de ranger ou apertar os dentes em combinação com pelo menos, um dos seguintes sinais clínicos: desgastes dentários anormais, sons associados ao bruxismo, desconforto muscular na região mandibular e dores orofaciais.

Os fatores que predispõem ao bruxismo podem ser divididos de forma didática em: 1) fatores locais (contatos prematuros, interferências oclusais); 2) fatores sistêmicos (indivíduos portadores de asma ou rinite, pacientes com distúrbios do SNC); 3) fatores psicológicos (estresse, ansiedade); 4) fatores ocupacionais (prática de esportes de competição); e 5) fatores hereditários.

O bruxismo do sono se diferencia do bruxismo diurno por envolver distintos estados de consciência. Portanto, é uma atividade inconsciente, com produção de sons e ocorre quando a criança está dormindo; por outro lado o bruxismo diurno é caracterizado por uma atividade semi-voluntária da mandíbula, caracterizada por um hábito ou tique.

A etiologia, ou seja, a origem dessa atividade parafuncional é bastante diversificada, podendo ser de origem local, sistêmica, psicológica, ocupacional, hereditária ou ainda, estar relacionada a distúrbios do sono e até mesmo a respiração bucal. Sendo assim, considera-se que diferentes formas de tratamento devem ser individualizadas para cada situação.

Uma recente pesquisa faz uma associação entre bruxismo infantil, o sono e a dor de cabeça. Igualmente ao bruxismo do adulto, o bruxismo infantil é uma atividade parafuncional do sistema mastigatório.A associação do bruxismo com a dor de cabeça também se mostrou presente na pesquisa, que relatou uma prevalência de 22,5%. Com esse estudo, pode-se afirmar que crianças que sofrem de dor de cabeça apresentam 1,6 vezes mais chances de apresentar o habito parafuncional do bruxismo quando comparado às crianças sem dores de cabeça.

Outra importante variável estudada foi o sono agitado que, demonstrou que crianças com história de sono agitado apresentaram 2,5 vezes mais chances de expressarem bruxismo.Como o bruxismo tem um conjunto de fatores, o tratamento psicológico é importante, principalmente quando iniciado com o uso da placa de mordida. Essa placa visa reduzir a atividade parafuncional, desprogramar e induzir ao relaxamento muscular, obter uma proteção dos dentes contra a atrição e desgaste, balanceio dos contatos oclusais, bem como reposicionar a mandíbula, colocando-a em uma relação normal com a maxila para alcançar um equilíbrio neuromuscular.

O tratamento consiste em um trabalho multidisciplinar que abrange a odontologia, a medicina e a psicologia. Aodontologia normalmente atua em procedimentos restauradores, tratamento ortodôntico e placas de mordida. Em algumas situações, pode haver a necessidade de um tratamento sistêmico com uso de medicação e tratamento médico, além de aconselhamento psicológico.

Colaboração: Dr. Wagner Destéfano

Cirurgião Dentista – CRO 10637

Compartilhe: