Copel lança mapa solar para fomentar geração fotovoltaica


A Copel lançou nesta terça (6), em Curitiba, o mapa solar que fornece informações sobre a incidência de raios solares no Paraná e provê dados importantes para a geração de energia a partir do sol. Acessível gratuitamente pela internet, no endereço solar.copel.com, a ferramenta permite verificar a radiação em todas as regiões do Estado, em qualquer período do ano.

“O mapa permite à Copel identificar os focos potenciais de negócios em geração fotovoltaica e ajuda o consumidor a definir as informações preliminares para a viabilidade da instalação de um sistema como estes em sua residência ou comércio”, disse o presidente da Copel, Jonel Iurk.

Este projeto é resultado de um investimento de R$ 550 mil e nove meses de trabalho da Copel junto com o Simepar, em uma iniciativa que incentiva a geração de energia limpa e renovável e que reafirma o compromisso da empresa com a sustentabilidade.

“É um caminho sem volta, em uma modalidade de geração que tem crescido exponencialmente no Brasil”, afirmou Jonel. A geração de energia fotovoltaica no país já chegou a 1 gigawatt de potência, segundo pesquisa lançada pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica, a Absolar.

“Nós vamos ao encontro da demanda e disponibilizamos uma ferramenta que também vai funcionar como fomento aos micro e minigeradores de energia”, afirmou o diretor de Desenvolvimento de Negócios, José Marques Filho. “Bom para a empresa, bom também para o consumidor”, acrescentou o diretor. Segundo ele, a Copel está inserida na geração distribuída e, para isso, precisava traçar o potencial do Estado, pesquisando onde estão os melhores locais para investimentos em usinas solares. “E, do lado de quem quer investir nessa modalidade de geração, o mapa funciona como um guia e a possibilidade de fazer um ótimo negócio”, afirmou.

COMO FUNCIONA

De navegabilidade fácil, a ferramenta permite obter os dados em todos os endereços mapeados no Paraná: basta entrar com a localização específica para receber as informações de radiação solar média, temperatura e umidade, conforme o período escolhido – se anual, mensal ou por estação do ano.

A partir daí, é possível calcular a potência necessária estimada para o sistema fotovoltaico a ser instalado, conforme o consumo de energia e a classe de consumo – informações estas constantes na conta de luz.

Com a informação em mãos, o próprio site convida o usuário a fazer um cadastro na Copel, o que é importante para a Companhia obter dados sobre o interesse dos clientes nessa modalidade. Se a opção for por instalar o sistema, basta levar as informações a uma empresa especializada.

No site é possível verificar os procedimentos que a Copel adota em casos de micro e minigeração distribuída. Vale observar que, mesmo gerando a própria energia, quem opta por essa modalidade deve estar conectado à rede da distribuidora.

COMO FOI FEITO

Para elaboração do mapa solar, a Copel e o Simepar (Sistema Meteorológico do Paraná) usaram dados de radiação solar registrados em estações meteorológicas entre os anos de 2006 e 2016. As medições foram feitas em 100 estações em diferentes pontos do Estado.

O método é bastante preciso, já que cruza dados obtidos por satélite com informações como cobertura de nuvens e variações climáticas locais. Depois, por meio de ferramentas matemáticas e computacionais, é possível gerar dados mais confiáveis para identificar locais em potencial para implantação de sistemas fotovoltaicos e estabelecer o dimensionamento destes.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: