Copel assina contrato para construção da PCH Bela Vista

A Copel assinou nesta quarta-feira (29) o contrato de fornecimento de bens e prestação de serviços para implantação da Pequena Central Hidrelétrica Bela Vista, na região Sudoeste do Paraná, e do sistema de transmissão associado, no valor de de R$ 147,8 milhões – equivalente a 74% do investimento total previsto para a PCH (R$ 200 milhões).

Com o contrato, a Copel vai emitir a autorização para início das obras na primeira quinzena de junho. A usina deverá iniciar o fornecimento de energia no segundo semestre do ano que vem.

“A usina de Bela Vista é um marco para a atual gestão da Copel, pois representa uma retomada de nossa tradição de respeitar os prazos para instalação de usina buscando antecipar ao máximo o início de operação, com benefício para o sistema elétrico, para a sociedade e para a Copel”, afirmou o presidente da Copel, Daniel Pimentel Slaviero. “Para tanto, é imprescindível firmar contrato com empresas qualificadas e competentes, como as que estão envolvidas neste empreendimento”, acrescentou.

O contrato foi assinado com as empresas Concretizar Engenharia de Obras Ltda, Semi Industrial Ltda, Semi Sociedade de Engenharia e Montagens Industriais Ltda, Semi Engenharia de Sistemas Ltda, Linergia Linhas e Redes de Transmissão e VLB Engenharia Ltda.

PONTE

A PCH será instalada no Rio Chopim, entre os municípios de Verê (onde será instalado o canteiro de obras) e São João, no sudoeste paranaense. O empreendimento recebeu do Instituto Ambiental do Paraná a Licença de Instalação nº 23569, no dia 10 de maio.

Quando estiver pronta, Bela Vista terá potência instalada de 29 megawatts (MW) e garantia física de 18,32 MW médios – podendo produzir energia elétrica para até cem mil pessoas.

Na área da PCH será também construída uma subestação elevadora (13,8 kV/138 kV) que será conectada à subestação Dois Vizinhos através de uma linha de transmissão de 18 km de extensão, que passará por Verê, São Jorge D’Oeste e Dois Vizinhos.

Além disso, será construída uma ponte entre os municípios de Verê e São João – medida compensatória pela instalação do empreendimento e que atende a uma demanda antiga dos moradores da região, principalmente de produtores rurais que passarão a contar com melhores condições para escoar a produção, tornando a economia local bem mais competitiva em termos de logística.

Todas essas obras poderão gerar até 500 empregos diretos – sendo que as empresas devem priorizar contratação de mão de obra local.

SERVIÇOS AMBIENTAIS

Outras empresas contratadas pela Bela Vista já estão atuando na região: a Soma Consultoria Ambiental está com equipe em campo para execução dos projetos socioambientais da PCH.

Já a SVN e a Kruk estão fazendo levantamentos de campo, demarcação de cotas do reservatório e da APP e avaliações fundiárias para negociação de indenizações das 61 propriedades que serão afetadas total ou parcialmente. As áreas destinadas ao canteiro de obras já foram negociadas e adquiridas pela Bela Vista.

O reservatório a ser formado irá envolver áreas dos municípios de Verê e São João e terá uma área de 2,85 km² para o Nível de Água Máximo Normal. Desta área, aproximadamente 1,77 km² pertencem à calha natural do Rio Chopim na região, resultando a área efetivamente a ser alagada para a formação do lago de 1,08 km².

De acordo com estimativas dos técnicos da Copel, ao redor do reservatório será formada uma Área de Preservação Permanente de 2,96 km².

No caso da linha de transmissão, será feita servidão para passagem da rede na propriedade. Na faixa de servidão destinada à linha, o proprietário terá algumas restrições de uso: não poderá construir, usar culturas de médio e grande porte ou plantar cana e outras que usem queimadas para manejo. Porém, o uso para outras plantações e pecuária é permitido, o proprietário não deixa de usufruir da área de servidão pelo qual será indenizado. A medição das áreas a serem destinadas à passagem da linha também está sendo feita pelas equipes de campo.

Fonte: Agência Estadual de Notícias do Paraná

Compartilhe: