Comissão dos ODS define prioridades até 2019 e lança plano de ação

A Comissão Nacional para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que tem o IBGE como um dos assessores técnicos permanentes, lançou, no final do ano passado, o Plano de Ação 2017-2019. O documento traça um roteiro de prioridades estabelecidas para apoiar a implementação dos ODS no país por meio de cinco grandes eixos estratégicos: Gestão e Governança da Comissão; Disseminação; Internalização; Interiorização; e Acompanhamento e Monitoramento da Agenda 2030.

Para divulgar o Plano de Ação 2017-2019, será realizado um evento no dia 1° de março, em Brasília, quando também será lançado o Prêmio ODS Brasil, e instalada a primeira Câmara Temática sobre Parcerias e Meios de Implementação.

O IBGE está envolvido diretamente no eixo Internalização, que tem como objetivo adequar as metas e os indicadores globais à realidade brasileira. Como desdobramentos, serão calculados e disponibilizados indicadores globais TIER I (com metodologia definida e dados disponíveis) em uma plataforma digital, desenvolvida pelo Instituto, até março de 2018. No médio prazo, até julho de 2019, será formada uma rede de conhecimento para estimativa dos indicadores globais TIER II (com metodologia definida, mas sem dados) e TIER III (sem metodologia), e definido um quadro de indicadores nacionais.

A gerente do gabinete da presidência do IBGE, Denise Kronemberger, informa que, até o final do ano passado, foram cadastrados na plataforma digital 20 indicadores globais TIER I de sete Objetivos: “Esse trabalho é um dos resultados da articulação iniciada em agosto pelos Grupos de Trabalho coordenados pelo IBGE, composto por 70 órgãos públicos federais envolvidos com a temática dos Objetivos”.

A Comissão Nacional para os ODS, a primeira de um país latino-americano, tem a finalidade de internalizar, difundir e dar transparência às ações relativas ao tema. Nesse contexto, o IBGE atua na orientação da discussão e produção dos indicadores globais, no levantamento e na produção de dados, na construção de subsídios para a discussão e monitoramento dos indicadores nacionais e no apoio à elaboração de propostas dos relatórios periódicos.

ASCOM IBGE

Compartilhe: