Cianorte amplia programa de agroindústrias familiares

apiario01A Secretaria de Agricultura de Cianorte prepara a formalização de novas agroindústrias familiares. Na semana passada foi anunciada uma granja dentro do projeto que conta hoje com 16 agroindústrias, sendo que outras cinco delas já tem o selo de Serviço de Inspeção Municipal para Produtos de Origem Animal e Vegetal e serão apresentadas até o final do ano. “Estamos sempre preocupados em tirar os produtores da informalidade e termos garantia da qualidade dos alimentos produzidos na cidade”, comentou o ressonável técnico pela inspeção da Secretaria de Agricultura, Rodrigo Panucci (foto abaixo), que divide o trabalho com outro veterinário que cuida da coordenação do selo.

Das 16 agroindústrias, 13 são de origem animal e três vegetal, beneficiando aproximadamente 100 trabalhadores familiares. Há ainda outras três agroindústrias que estão em construção: uma com produtos de legumes, outra de embutidos e uma de pimenta.

LEI – O selo do Serviço de Inspeção Municipal para Produtos de Origem Animal (SIM/POA), da Secretaria de Agricultura de Cianorte, possibilita que os produtores vendam suas mercadorias na cidade. Eles vendem em seus próprios estabelecimentos ou negociam com o comércio local. Mas, os participantes do projeto vivem a expectativa da normatização da lei 17.773, de 29 de novembro de 2013. Ela é sobre o Sistema Unificado Estadual de Sanidade Agroindustrial Familiar, Artesanal e de Pequeno Porte (Susaf) que possibilitará a venda em todo o Paraná.

Antes do programa de agroindústria familiar da prefeitura cianortense, os pequenos produtores produziam por conta própria sem controles ou padrões e também comercializavam por conta própria. Não havia garantias aos consumidores. Agora eles recebem visitas semanais dos técnicos da prefeitura para orientações e acompanhamento do trabalho.

Ao passarem a fazerem parte do programa, eles precisam seguir padrões como e cuidados com aspectos como banheiro, cercas externar para evitar entrada de animais na linha de produção, portas e janelas seladas, lavatórios para mãos e pés, revestimento das paredes e pisos, tratamento da água, entre outros.

Além de melhorar a produção rural, o projeto também gera empregos e renda e dá um retorno para a prefeitura. Isso porque as negociações entre produtores, comerciantes e clientes acabam gerando impostos para os cofres públicos.

Projeto tem origem em 2007 e ganhou prêmio

O projeto da agroindústria familiar começou em Cianorte na gestão anterior do ex-prefeito Edno Guimarães em fevereiro de 2007 e foi adequado pelo prefeito Claudemir Bongiorno. “Sempre pensamos em ajudar e valorizar o pequeno produtor”, comentou o secretário de Agricultura de Cianorte, Valdilei José Domingos (foto abaixo), que foi quem criou o programa.

O projeto ganhou o prêmio especial na primeira edição do Gestor Público do Paraná em 2013. O destaque estadual acabou dando repercussão nacional para o projeto cianortense. E, com isso, profissionais de diversos estados já visitaram a cidade para conhecer o a agroindústria familiar local. “Esses produtores estão trabalhando felizes e fazendo produtos de qualidade”, comentou o prefeito Bongiorno que acompanha de perto a abertura de novas agroindústrias na cidade.

Entre os órgãos que também acompanham os produtores estão a Vigilância Sanitária, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Sindicato Rural, Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e Instituto Ambiental do Paraná (IAP).

Produtores melhoram de vida

O projeto de agroindústrias tem um importante papel social em Cianorte. Além de regularizar as empresas, também possibilita que as famílias melhorem de situação. É o caso da Queijo Paraná, de José Carlos Nunhez, de 56 anos. A agroindústria produz queijo frescal e mussarela com quatro pessoas trabalhando. Eles entraram no programa da prefeitura há cinco anos e, desde então, a situação vem melhorando aos poucos. “Antes o trabalho não era tranquilo, não tínhamos licença para vender os produtos”, lembra Nunhez. “Agora podemos vender na cidade e temos um produto com qualidade garantida”.

Atualmente a família mora numa casa ampliada após a participação no projeto, inclusive com piscina, construíram uma casa para o filho e também tem um carro mais novo. E não devem parar por aí. “Estamos planejando aumentar a nossa produção em breve”, revela Nunhez.

A agroindústria tem 30 vacas que produzem uma media de 220 litros diariamente. O que proporciona a produção de 22 quilos de mussarela e 12 quilos de queijo frescal ao dia. Tais produtos são entregues em dez estabelecimentos de Cianorte, entre pizazaria, lanchonetes, frutaria, entre outros.

Assim também é no Apiário Catharino que está há três anos no programa municipal. A produção media é de 4 toneladas de mel ao ano, variando no produto vendido em sachês, bisnagas e vidro em pesos diferentes. “Hoje a nossa produção e renda é de três vezes maior que era antes de trabalharmos com a prefeitura”, comenta o proprietário Edson Luchetti Catharino. Ele trabalha juntamente com a esposa e um filho e planeja para ampliar a quantidade de colmeias em breve.

AGROINDÚSTRIAS FAMILIARES DE CIANORTE
Abatedouro de Aves O Capirião
Apiário Catharino
Apiário CiaMel
Apiário Cianorte
Bovi Massas
Filetagem de Peixe
Frios Cianorte
Granja da Família
Laticínio Ciamilk
Laticínio Cianata
Laticínio Sabor & Cia
Matadouro de Bovinos e Suínos
Queijo Paraná
Sagrada Família Panificação
Suinorte
Volpato Massas & Biscoitos

Texto e fotos: Andye Iore

agroindustria

Compartilhe: