Cenário econômico brasileiro está estabilizado, segundo pesquisas


Para especialista, situação tem ligação direta com a época das eleições presidenciais

A economia brasileira está estagnada: não anda nem para cima, nem para baixo. É o que os números mostram. De acordo com Christian Bundt, administrador, professor e membro do Comitê Macroeconômico do ISAE – Escola de Negócios, boa parte desse marasmo se deve à eleição presidencial que se aproxima, outro quinhão para o cenário externo e outra pequena parte ao perfil do empresário brasileiro.

“Enquanto alguma dessas condições não se resolver bem, a economia continuará ¨caranguejando ¨. Como as eleições têm data marcada, o término do processo deve mover a economia, para cima ou para baixo, no curto prazo, a depender do resultado do pleito”, explica. O Banco Central do Brasil (BCB) divulgou dados econômicos que merecem ser conferidos.

Em especial sobre o Paraná, no Boletim Regional. Acompanhe alguns flashes do relatório que ajudam a entender a situação nacional e estadual. O Índice de Atividade Econômica do BCB (IBC-Br) é uma prévia do PIB, sendo ainda usado pelo BCB nas discussões sobre inflação e juros. Na figura a seguir, está o IBC-Br e o índice de atividade econômica para a Região Sul (IBCR-S) e do Paraná (IBCR-PR).

Na medição do BCB para o período, os índices regionais se mostram geralmente acima do nacional. Na análise intra regional, em maio/18, o índice paranaense está praticamente junto com o regional, acima do nacional. “A queda do índice em maio/18, já apontando efeitos da greve dos caminhoneiros. Na análise geral do período, o índice está estável e, claramente, a supersafra agrícola de 2017 está refletida no distanciamento do IBC da região e do país, tendendo a se aproximar em 2018, quando a perspectiva da safra é menor que em 2017”, conclui Bundt.

Fonte: Isabelle Kolb – Assessoria de Imprensa – ISAE/FGV – Escola de Negócios

Compartilhe: