Cemitério exige atenção redobrada no combate ao Aedes aegypti


Última inspeção encontrou focos do mosquito. Vasos de flores são os principais criadouros

Ao ar livre, a combinação de recipientes capazes de acumular água com o tempo quente e chuvoso é a condição perfeita para a procriação do Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika, chikungunya e febre amarela. Por isso, em Cianorte, o Cemitério Municipal São Miguel é um ponto estratégico das ações do Programa de Combate às Endemias. Na última semana, em uma inspeção de rotina por amostragem, a equipe encontrou larvas do mosquito. Todas estavam em vasos de flores. Diante disso, e com a proximidade do Dia de Finados (02 de novembro), a Secretaria Municipal de Saúde reforça as orientações à população.

“Pedimos aos amigos e familiares para que aproveitem este período, que costuma ser destinado aos cuidados com os túmulos, para que tomem providências com relação ao combate do mosquito, como, por exemplo, vedar buracos; eliminar recipientes capazes de acumular água; dar preferência por flores plantadas; utilizar vasos com furos na base; não colocar pratinhos, mas se fizer questão, preenchê-los com areia; dar destinação correta ao lixo, como sacos plásticos, restos de cera, embalagens, entre outros”, sugere a supervisora do Programa de Combate às Endemias, Vera Lúcia Fusisawa.

“Até a parafina resultante da queima de velas pode acumular água e se tornar um criadouro do Aedes aegypti. Por isso, tudo deve ser observado, até os mínimos detalhes”, ressalta a chefe da Divisão de Prevenção em Saúde, Heloisa Dantas, enfatizando que o vírus tido como o mais agressivo da dengue (sorotipo 2) está circulando com mais frequência no país. “Há cidades em que já se sobressai ao tipo mais comum, provocando os sintomas da doença de forma mais grave, como é o caso da dengue hemorrágica, com evolução para óbito. O perigo é iminente. Não podemos deixar que o mosquito faça morada em nosso município”, alerta Heloisa.

Caso encontre um foco do mosquito, a recomendação é virar a água no chão, onde tenha grama ou terra. Nunca em ralos ou sanitários. As larvas morrem quando estão sem água. Depois é preciso limpar o recipiente para soltar os ovos que estejam grudados e mantê-lo seco. Uma solução feita com água sanitária, ou hipoclorito de sódio, na proporção de uma colher de sopa por litro de água, é ideal para higienização. Durante o Dia de Finados, servidores da Secretaria Municipal de Saúde estarão nos portões do cemitério, chamando a atenção para o perigo do uso incorreto de vasos, porta-velas e embalagens; assim como prestando orientações.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social da Prefeitura Municipal de Cianorte

Compartilhe: