Brasil registra saldo positivo de 34,3 mil vagas formais em janeiro


Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta quinta-feira (28), apontam que o emprego formal no Brasil manteve a tendência de crescimento registrada em 2018 e fechou janeiro de 2019 com saldo positivo de 34.313 postos de trabalho. Foi o melhor resultado para o período desde 2013.

No total, foram 1.325.183 admissões e 1.290.870 desligamentos. Nos últimos 12 meses, houve crescimento de 471.741 empregos, representando variação de +1,24%.

Os setores que mais se destacaram na expansão no nível de emprego foram: Serviços (43.449 postos), Indústria de Transformação (34.929), Construção Civil (14.275), Agropecuária (8.328 postos) e Extrativista Mineral (84 postos). As maiores reduções ocorreram nos setores do Comércio (65.978 postos), Administração Pública (686 postos) e Serviços Industriais de Utilidade Pública (88).

Em janeiro, apresentaram saldo de emprego positivo as regiões Sul (com 41.733 postos e uma variação de +0,59%), Centro-Oeste (22.802 postos, +0,71%) e Sudeste (6.485 postos, +0,03%). Norte (-6.428 postos, -0,36%) e Nordeste (-30.279 postos, 0,48%) tiveram retração nos postos.

REMUNERAÇÃO

O salário médio de admissão foi de R$ 1.618,96 em janeiro, e o salário médio de desligamento foi de R$ 1.713,93. Em termos reais, considerando a deflação medida pelo Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC), houve crescimento de R$ 82,60 (+5,38%) no salário de admissão e queda de R$ 19,81 (-1,14%) no salário de desligamento, em comparação com o mês anterior.

Em relação ao mesmo mês do ano passado, registrou-se aumento real de R$ 33,27 (+2,10%) para o salário médio de admissão e de R$22,50 (+1,33%) para o salário de desligamento.

MODERNIZAÇÃO TRABALHISTA

A distribuição do emprego entre as modalidades criadas a partir da Modernização Trabalhista (Lei 13.467/2017) ficou assim:

ACORDOS

Em janeiro de 2019, houve 17.754 desligamentos mediante acordo entre empregador e empregado, envolvendo 12.432 estabelecimentos, em um universo de 11.376 empresas. São Paulo registrou a maior quantidade de desligamentos (5.557), seguido por Paraná (1.945), Minas Gerais (1.501), Rio Grande do Sul (1.463), Santa Catarina (1.432) e Rio de Janeiro (-1.282).

TRABALHO INTERMITENTE

Nessa modalidade, houve 7.768 admissões e 4.416 desligamentos, um saldo positivo de 3.352 empregos, envolvendo 1.969 estabelecimentos, em um universo de 1.584 empresas. As unidades federativas com maior número de contratos nesta modalidade em janeiro foram Paraná (666 postos), Minas Gerais (665), São Paulo (525), Rio de Janeiro (420), Santa Catarina (359) e Espírito Santo (257).

REGIME PARCIAL

O Caged registrou 5.421 admissões em regime de tempo parcial e 5.286 desligamentos em janeiro, gerando um saldo de 135 empregos. O número de estabelecimentos envolvidos foi de 3.170 em um universo de 2.760 empresas.

Nesta modalidade, o setor com maior saldo de emprego foi o de Serviços (277 postos). A distribuição prosseguiu com Administração Pública (12), Indústria de Transformação (10), Siup (6) e Extrativista Mineral (2). Já Agropecuária (-4), Construção Civil (-21) e Comércio (-147) tiveram redução no saldo.

Fonte: Ministério da Economia

Compartilhe: