Após um ano da reforma trabalhista, Justiça registra queda no número de novos processos


Com a entrada em vigor da nova lei trabalhista, em novembro do ano passado, as relações entre trabalhadores e empregadores se tornaram mais harmônicas. Dados do Tribunal Superior do Trabalho (TST) mostram que houve uma redução no volume de novas ações e processos trabalhistas, além de aumento da eficiência da Justiça.

O texto que criou a nova lei trabalhista foi proposta pelo Governo do Brasil e amplamente debatido no Congresso Nacional. Parlamentares, trabalhadores e representantes de empresários participaram das discussões. O objetivo principal era modernizar a lei, adequá-la à nova realidade das relações de trabalho e tecnológicas, além de dar mais eficiência ao mercado brasileiro.

Dados da Coordenadoria de Estatística do TST indicam que, com o início da vigência do texto, os novos casos caíram de 289,7 mil, em novembro de 2017, para pouco mais de 89 mil, no mesmo ano. O último dado disponível mostra que em setembro deste ano havia 137,6 mil casos novos.

A queda no número de reclamações trabalhistas ajuizadas possibilitou que a Justiça do Trabalho conseguisse, também, dar andamento e reduzir a quantidade de processos antigos pendentes. Em dezembro de 2017, o número de casos nas Varas e nos Tribunais Regionais do Trabalho era de 2,4 milhões de processos aguardando julgamento. Em agosto de 2018, esse número caiu para 1,9 milhão de processos.

Fonte: Governo do Brasil, com informações do TST

Compartilhe: