Agradecendo Homenagens

Ontem, dia 8 de março, foi comemorado o Dia Internacional da Mulher. Lá no Centro de Evento Carlos Yoshito Mori reuniram-se mulheres, as mais simples, as mais humildes, da periferia da cidade, em número razoável. E foram contempladas com cuidados para pele, para unhas, maquiagem cortes de cabelo. Seria também posse do Conselho Municipal de Direitos da Mulher recém-fundado e que faz para parte do Conselho Municipal de Assistência Social de Cianorte, vinculado à Secretaria Municipal de Assistência Social, muito bem comandada pela psicóloga Marlene Aparecida Benália Bataglia, um mulher guerreira e determinada.

Feita a composição da mesa principal, de repente, fui mencionada e me pediram para estar com eles, a pedido do Deputado Estadual Jonas Guimarães, através de sua filha Lucélia Guimarães. Sem saber muito bem o que estaria acontecendo me entregaram uma Menção Honrosa aprovada, por iniciativa do Deputado Estadual Jonas Guimarães que mandou lavrar nos anais da Assembléia Legislativa do Estado do Paraná e aprovada pelos demais e endereçada a mim. Foi uma homenagem prestada a minha pessoa pelo pioneirismo na cidade, eis que estamos aqui desde os primórdios da cidade, acompanhando cada evento que valoriza nossa cidade. Isto tudo nos remonta à década de cincoenta, quando ainda menina enchia meus pés de areia, nas ruas da cidade, andando descalça. Jamais imaginaria que um dia pudesse ser contemplada no Dia Internacional da Mulher pelos serviços prestados à cidade. Porque se o fiz, fiz de coração, não foi por conveniência ou para receber a admiração deste ou aquele cidadão. Cumpri minha carreira no Magistério e a idade chegou assim como aposentadoria. Mas, não poderia me retirar dos problemas de Cianorte que sempre me preocuparam, assim como suas derrotas e seus sucessos. Aos 50 anos fui cursar Ciências Jurídicas, curso de direito que me abriu um leque sem fim de oportunidades. Outras mulheres guerreiras também foram dedicadas à profissão como eu. Vi mulheres levantando de madrugada para levar seus filhos à escola e depois entrar esbaforidas numa sala para educar os filhos dos outros. E assim é a vida, que se constrói sem pretensão, no dia, sem pensar na homenagem. Mas de qualquer forma esta atitude do deputado me agraciou sobremaneira e fiquei emocionada e minha família também. Ser reconhecida ao longo da vida, não pode misturar-se com a vaidade da deferência. Sou feliz assim, agora que completei 18 anos!

Compartilhe: