Ações brasileiras na gestão da água são destaque em fórum sobre rios


s medidas implementadas pelo governo federal para a gestão dos recursos hídricos foram apresentadas durante o Fórum dos Grandes Rios 2018, realizado em Wuhan, na China, até esta terça-feira (30). Durante o evento, o secretário de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Jair Tannús, destacou que o Brasil possui 12% da água doce do mundo, mas que o recurso ainda é distribuído de forma desigual.

A região do País que mais sofre com a escassez é o Nordeste. Para enfrentar este problema, o governo tem implementado medidas como o Programa Água Doce (PAD). Coordenada pelo MMA, a ação promove o uso sustentável dos recursos hídricos subterrâneos. Além disso, o projeto fornece, por meio da dessalinização, água potável para consumo humano em comunidades difusas do Semiárido brasileiro.

Tannús também ressaltou a importância do Programa Nacional de Revitalização de Bacias Hidrográficas, que tem como objetivo implementar ações integradas voltadas à preservação, conservação e recuperação das bacias do País. Entre os instrumentos que possibilitam essa revitalização está o zoneamento ecológico e econômico realizado na Amazônia Legal e na Bacia do Rio São Francisco.

Em sua apresentação, Tannús ainda alertou que a demanda pelo uso da água cresceu 80% nas últimas duas décadas no País. Até 2030, a previsão é de que o aumento chegue a 30%.

FÓRUM

Organizado pelo governo municipal de Wuhan (China) e pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), por meio do seu escritório em Pequim, o Fórum Grandes Rios 2018 tem como tema “Grandes Civilizações dos Rios – Desenvolvimento de Alta Qualidade para um Futuro Sustentável”.

Além do secretário Jair Tannús, o diretor-substituto de Revitalização de Bacias Hidrográficas e Acesso à Água do MMA, Henrique Veiga, também representou o Brasil no evento.

Fonte: Ministério do Meio Ambiente

Compartilhe: