Abertura de CNPJ para microempreendedor individual cresce em diversos setores


Economia instável, busca por novos modelos de trabalho e renda extra, são fatores que impulsionam a formalização de serviços nos mais diversos setores do mercado. Além disso, o consumidor moderno também tem parcela significativa nisso, por se tornar cada vez mais exigente na contratação de fornecedores.

Levantamento de dados apontados pela startup MEI Fácil, aponta que durante um semestre (novembro/17 – maio/18) o setor da construção civil teve aumentos relevantes na abertura de novos CNPJ, obras e alvenaria é o maior deles com 46%, seguido por instalações hidráulicas, sanitárias e de gás com 44%, manutenção e acabamento em gesso cresceram 42%, enquanto os serviços de pintura fecharam em 31%.

O CEO da MEI Fácil, Marcelo Moraes, destaca que os números refletem claramente um dos anseios da população. “Ao colocar alguém dentro de casa todos nós queremos estar seguros, e poder contratar um profissional com CNPJ nos dá maior confiança tanto na contratação, como na entrega do serviço”, comenta Marcelo.

No setor de transporte a movimentação também foi maior. Em transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudança, municipal, o crescimento foi de 63% no semestre analisado, enquanto no transporte rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional, foi verificada também subida de 39%. Serviços de táxi tiveram alta de 55% no período, enquanto o transporte escolar cresceu 59% em novos CPNJs, entre outros exemplos.

Por outro lado há ainda a insegurança do trabalhador autônomo em saber se deve ou aderir a formalização, o que mudaria ainda mais o crescimento do cenário atual. “Nosso trabalho na MEI Fácil é dar todo suporte necessário para microempreendedor, desmistificando o que até então gerava medo e insegurança, abrindo assim novas oportunidades de negócios”, afirma Marcelo.

Embora mais tímido, o crescimento na aberturas de CNPJ de microeemprendendor individual também ocorreu no setor do comércio. Entre os destaques, pode-se citar o comércio varejista de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios, e o comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios, ambos com alta de 18%.

Muito maior foi o número de CPNJs abertos no comércio varejista de ferragens e ferramentas, que cresceu 76% entre dezembro de 2017 e maio de 2018. Cabe ainda mencionar o comércio a varejo de peças e acessórios novos para veículos automotores, que teve 54% mais microempreendedores individuais nesse período.

SOBRE A MEI FÁCIL

A MEI Fácil foi fundada em janeiro de 2017 com o objetivo de ser a grande parceira do microempreendedor individual.. A empresa já atende mais de 200 mil empreendedores, em mais de 4,5 mil cidades, e oferece auxílio em processos como a obtenção de CNPJ, notas fiscais, além de serviços financeiros simplificados e de baixo custo. Ela foi recentemente premiada pela Universidade de Columbia, nos EUA, como referência global em negócios de impacto social, primeira vez que uma startup da América Latina ganha o prêmio.

A empresa já captou mais de R$1 milhão, sendo a última rodada feita junto ao fundo de investimentos Yellow Ventures em 2017. O grupo já se prepara para uma nova rodada para 2018: “O crescimento que superou todas nossas expectativas. Hoje, 40% dos nossos clientes vêm por indicação, o que cria um efeito multiplicador em nossa base de relacionamento. Queremos, no futuro, expandir a oferta de serviços e produtos, sem perder em mente a questão da simplicidade” finaliza Marcelo.

Fonte: Máindi Engajamento e Performance

Compartilhe: